Nutrição & Atividade Física • Articulistas

12 de Setembro de 2019

A dor muscular: a necessidade e o excesso

 

Jair Rodrigues Garcia Júnior

               A dor muscular é uma “parceira” da prática de exercícios físicos, pois acompanha desde os iniciantes até os atletas. Mas é claro que é sentida e tolerada de forma diferente por cada pessoa. Uma pergunta comum: é necessário sentir dor após a prática de exercício?

               A resposta é sim. A ausência total de dor é um indicativo de que o estimulo (exercício) para o músculo foi “fraco” e não melhorará o condicionamento físico.

               O exercício físico deve representar um estresse para o qual seus músculos não estão bem acostumados e provocar microlesões. Com isso, ocorrem adaptações e ganhos musculares que proporcionam saúde ou melhor desempenho.

               A dor tardia, que acontece um, dois e até três dias após o esforço indica que ocorreram microlesões e reação do sistema imune, causando um processo inflamatório nos músculos. Esse processo é necessário, pois estimula a liberação de hormônios locais que proporcionam a reparação dos músculos e adaptações. O processo inflamatório, o grau de dor e o tempo que os músculos ficam doloridos são proporcionais ao grau da lesão.

               Portanto, a dor de grau leve, aquela que te lembra qual músculo foi utilizado no último treino, é um fator positivo, indicativo de que o estímulo para adaptação foi adequado. Já a dor de grau elevado, que persiste por dias e dificulta a realização das atividades diárias, é negativa e indica que foi cometido exagero na carga, intensidade ou duração do treinamento.

               O praticante deve se lembrar que as adaptações musculares ocorrem gradativamente e sucessivamente. O treino que provoca dor de grau leve hoje, praticamente não provocará dores no mês seguinte, permitindo o aumento da carga, intensidade e duração.

               Até uma caminhada pode proporcionar para adaptação muscular, porém deve ser de intensidade e duração progressiva e evoluir para corrida, para realmente melhorar o condicionamento físico. Neste sentido, a combinação de caminhada, corrida ou natação (aeróbios) com musculação, exercícios funcionais e ginásticos (resistência muscular localizada) representa boa opção para músculos bem condicionados e melhora da saúde.

 

           

Jair R. Garcia Jr. é doutor em Fisiologia Humana (ICB-USP) e professor de Bioquímica e Nutrição da UNOESTE. jgjunior@unoeste.br Instagram: @exercicionutri

10 setembro 2019

 

 

Willy Macedo
Interplan