Entrevistas • Gerais

03 de Agosto de 2020

MARCOS AUGUSTO FROIS, Engenheiro

O mercado exige que sejamos agentes de

melhoria na qualidade de vida das pessoas”

Formado em Administração de Empresas pela Toledo Prudente e Engenharia Civil pela Unoeste, Marcos Augusto Frois, 30 anos, concluiu recentemente uma nova especialização (a terceira do currículo, depois de gestão de projetos e pessoas) em Gestão Estratégica de Negócios na FIAP, em São Paulo. Atualmente é responsável pelas execuções de obra da 4F Construções e professor de Engenharia Civil, Arquitetura & Urbanismo e Administração de Empresas na Toledo Prudente. Mais recentemente tem participado de uma startup voltada ao mercado da Construção Civil chamada Construa (www.construa.app) além de estar trabalhando em uma parceria com dois arquitetos para o lançamento de produtos imobiliários com forte diferencial de design, tecnologia e sustentabilidade para Prudente e região. É casado com Gabriela Ribeiro, e tem uma filhinha, Maria.

Porque você escolheu a Engenharia?

A Engenharia Civil que me escolheu. Nasci e fui criado em canteiros de obras acompanhando o trabalho do meu pai (Marcos Fróis), mas, apesar de atuação breve enquanto adolescente no negócio da família, foi só depois da conclusão da graduação de Administração de Empresas em 2011 que entendi a necessidade de ganhar profundidade na técnica da Engenharia Civil para que fosse bem sucedido em auxiliar as obras a se profissionalizarem.

Qual a satisfação proporcionada por essa profissão?

Trabalhar no mercado da Construção Civil é fazer parte de um segmento importantíssimo para a economia nacional, e a satisfação de acompanhar um empreendimento ser planejado, executado e entregue a seus interessados é ímpar! Neste processo impactamos diretamente a vida de muitas famílias e seus negócios que atuam desde o fornecimento de materiais de construção até a prestação de serviços de mão-de-obra, movimentando recursos e gerando renda para a sociedade.

Descreva um dia da sua rotina profissional?

Atualmente estou mais próximo da gestão e planejamento estratégico dos negócios, portanto começo o dia encontrando a equipe responsável pelo gerenciamento das equipes as 7h para acompanhar o alinhamento das operações e demandas que serão desdobradas ao longo da semana. Na sequência as necessidades de travamento de escopos de projetos, orçamentações, contratos e atendimentos à clientes tomam conta da agenda. Dedico sempre uma parte do tempo para acompanhar o que está acontecendo no mercado no Brasil e no mundo e também para me manter ativo praticando atividades físicas e leituras.

Qual habilidade mais útil e necessária para o exercício da Engenharia?

Para o exercício da Engenharia, o que tenho percebido cada vez mais é a necessidade das chamadas "soft skills", ou competências leves, como o relacionamento interpessoal e a empatia. Lidar ao mesmo tempo com diversos participantes e interessados pelo projeto faz com que estas habilidades fiquem em evidência e acabam se tornando um diferencial em um mercado competitivo e ainda acostumado a lidar com baixa qualificação de mão-de-obra.

Em que medida você interage com outras pessoas durante o seu trabalho?

Estou sempre envolvido com pessoas. Seja com os pares responsáveis pela gestão de equipes de obras ou dando suporte ao atendimento no escritório Marcos Fróis Arquitetura. O relacionamento interpessoal é função chave de minha atuação profissional.

É necessário se atualizar de forma permanente na sua profissão?

A busca pelo aprendizado contínuo ao longo da vida é um tópico que sempre abordo com os pares e aqueles que estão mais próximos a mim no dia-a-dia. O mercado demanda que nós profissionais sejamos agentes de melhoria na qualidade de vida dos trabalhadores e dos usuários de empreendimentos imobiliários, e, para que isto seja possível, é necessário estar sempre atualizado com as melhores práticas.

O que tem sido seu foco atual?

Olho muito para o momento complexo que estamos vivendo em função da pandemia e buscando oportunidades para atender as necessidades emergentes deste mercado. É o caso, por exemplo, do lançamento das funcionalidades “PRO” do Construa, que, depois de 2 anos em desenvolvimento, ganhou a oportunidade de vir à público neste momento onde os produtos digitais estão em alta. Nesta mesma linha tenho também colocado luz sobre um projeto de incorporação que ganhou a oportunidade perfeita para acessar o mercado neste período em função das reduções das Taxas de Juros de instituições financeiras e a SELIC, potencializando oportunidades ao segmento imobiliário.

Quais projetos desenvolve atualmente?

A 4F atualmente executa a ampliação do Aruá Hotel, obras residenciais e reformas (dentro e fora de condomínios). Junto ao escritório de arquitetura as perspectivas são boas para o segundo semestre e o inicio de 2021 com projetos interessantes e desafiadores já na prancheta para vir à público.

Qual sua mensagem para quem for iniciar a carreira na Engenharia agora?

Reforço a importância do aprendizado continuo ao longo da jornada. O mercado da engenharia é muito amplo e vai desde a execução de obras residenciais, gestão de empreendimentos até as obras mais pesadas de infraestrutura de estradas, aeroportos, saneamento básico, etc, e nesta linha eu enxergo que há muito a ser feito no Brasil e estamos em um momento especial para isto.

 

Willy Macedo
O Imparcial