Entrevistas • Gerais

08 de Agosto de 2020

SOLANGE MARIA DE ARAÚJO OSHIKA

“Lutei com a balança, até que encontrei a fórmula!”

 

Natural de Regente Feijó, Solange Maria de Araújo Oshika, 57 anos, é administradora e dirige o escritório PHM com o marido Pedro Oshika, com quem é casada há 37 anos e tem dois filhos, Pedro Henrique, engenheiro da computação, 36 anos; e Mariana, psicóloga, 33 anos. Pratica corrida e treina diariamente, seguindo um protocolo do professor Eliseu Sena, com o qual perdeu 18 kg (quilos), naturalmente, em nove anos, sem precisar se submeter a qualquer procedimento cirúrgico.

Você mudou seu corpo e sua vida sem qualquer procedimento cirúrgico, foi apenas com força de vontade? 
Sim, desde que ganhei a minha filha Mariana eu luto com a balança... Durante anos fiz todos os regimes e sacrifícios imagináveis, até que encontrei a fórmula.

Conta essa fórmula milagrosa...
Pois, é, mas não tem nada de milagre... [risos].  Há nove anos, na Academia Winner, conheci o personal Eliseu Sena, iniciando aí um trabalho que realmente fez a diferença. Junto a isso, logicamente, com hábitos alimentares saudáveis.  Pesava 87 kg e hoje mantenho 69 kg.

Como era sua vida antes? Tinha algum problema de saúde?
Falar que minha vida antes era só problemas não é verdade, mas para uma mulher a obesidade interfere em muito na saúde e vida social. Quando eu falo em saúde, incluo principalmente a saúde psíquica e mental. Cheguei a me tratar na psiquiatria com medicação “pesada”.

Quais novos hábitos adquiridos?
Alimentação saudável, dormir e acordar cedo, atividade física acompanhada profissionalmente e boas amizades que tudo isso me proporcionou.

Antes você praticava alguma modalidade esportiva? 
Até os meus 48 anos não conhecia atividade física [não tinha nem tênis].

Como é sua rotina hoje em dia? 
Agora acordo às 5h da manhã, todos os dias, faço academia três vezes por semana, e faço treinamento funcional e corrida nos outros três dias da semana, sempre com a orientação do professor Eliseu.

Foi uma grande vitória então?
Na verdade foram duas vitórias. Após sete anos, tentando, finalmente consegui convencer meu marido a treinar comigo. Desde 2019 ele tornou-se um aluno exemplar.

O Imparcial
Willy Macedo