Entrevistas • Gerais

26 de Agosto de 2020

Eduardo Nogueira - Safenado completa 12 anos da cirurgia

"Com os filhos Vitor Gabriel, Raquel e Pedro Henrique: “foi um susto”

 

Antonio Eduardo Nogueira Picchi, 61 anos, é natural de São Paulo, capital paulista. Desde a infância morou na região da Consolação. Concluiu seus estudos na Faculdade Nove de Julho. Aos 15 anos, já trabalhava em banco. Foram 25 anos de longa carreira bancária, atuando na área administrativa e operacional. Até aposentar, trabalhou em quatro instituições bancárias. Em 1993, se casou e mudou para Presidente Prudente, onde atuou na área de representação comercial, até 1998. Foi dono da banca Tio Patinhas, perto da santa casa. Nesse ramo ficou por 12 anos e deu um novo dinamismo ao ramo de bancas de revistas na cidade, transformando seu ponto numa verdadeira loja de conveniência. 
Ao mesmo tempo transformou um antigo hobby, em atuação profissional. Virou um dos DJs mais requisitados da cidade. Em 2008, teve um mal estar e teve que fazer uma cirurgia cardíaca e, nesta semana, completou 12 anos como “safenado”.

 

Doze anos de um grande susto?
Pois é! Em agosto daquele ano, após um mal estar e exames clínicos pedidos pelo meu cardiologista Darcy Novelli, fui obrigado a fazer uma cirurgia cardíaca de três safenas e duas mamárias. Graças a Deus não enfartei, mas foi um grande susto em na minha vida! A minha sorte foi que sempre pratiquei esportes em geral e o infarto abaixo dos 50 anos parece que é mais fatal. Antes da cirurgia fiquei uns 15 dias aguardando repouso máximo e tranquilo. Meu caso era de 90% de entupimento das artérias e me preparei com traquilidade até porque não podia passar nervoso ou qualquer tipo de estresse.

Foi a conta do cigarro?
Eu tinha parado de fumar há dois anos, mas a conta do cigarro sempre vem é fato, infelizmente! A minha alimentação sempre foi boa, principalmente depois que me mudei para o interior.

Correu tudo bem na cirurgia?
A cirurgia aconteceu dia 22 de agosto de 2008. Fui operado pelo cirurgião Lisandro Cavalcanti, que pertenceu à equipe do Zerbini em São Paulo, mas que já vinha atuando em Presidente Prudente, na santa casa, há muitos anos. Foi uma cirurgia longa, mas bem conduzida por toda equipe do Dr. Lizandro.

Como foi a recuperação?
A minha recuperação na santa casa foi muito rápida. Gostaria de aproveitar para destacar o atendimento do setor coronário da Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente. Excelente! Ao longo de 90 dias pós-cirurgia tive que seguir algumas restrições e recomendações e não podia deixar de fazer caminhadas progressivas todos os dias.

Significado do ocorrido em sua vida...
A sensação e o significado ao longo desses 12 anos é de muita valorização e determinação para ter uma vida normal sem deixar de viver o dia a dia e fazer o que gosto.

O que mudou para você nesses 12 anos? 
Tive o prazer de aumentar a minha carga de exercícios físicos, sempre com orientação médica e com exames periódicos consegui cumprir alguns objetivos que foram surgindo no dia a dia. Com o passar do tempo, precisamente em 2009, comecei a treinar e a correr sob a supervisão do professor Paulo Leite da Academia Winner e também médica, como já mencionei, e tive a oportunidade até o ano de 2015 de participar de quatro meias maratonas 21 km, uma São Silvestre em 2013 e diversas corridas de 10 km aqui em Prudente e outras cidades, além de fazer natação duas vezes por semana. Vale ressaltar novamente que tudo isso se deve a profissionais que administraram e avaliaram as minhas condições físicas, Dr Darcy Novelli e preparador físico Paulo Leite.

Continua perseverando? 
Hoje continuo praticando esporte e fazendo caminhadas diariamente de 6 a 7 km e faço fortalecimentos físicos. Não corro mais por opção própria, mas não deixo de me exercitar. Infelizmente a natação tive que parar devido à pandemia, mas assim que passar retomo esta atividade que é muito saudável.

E a carreira de DJ?
A carreira de DJ também parei no início do ano de 2020, até porque à noite é muito desgastante e chega uma hora que temos que parar e faz parte.

Alguma outra atividade?
Também tenho uma chácara que me dedico muito a sua manutenção e da minha criação de cachorros que possuo. E também criei o hábito de viajar pelo menos uma vez por ano e aproveitar para viver a vida e curtir as coisas boas que ela oferece.

Que mensagem você deixa para o pessoal se cuidar?
O importante é se cuidar sem neura e não se privar do que você gosta de fazer. E seja lá o que for, que seja saudável e não deixar de ir ao médico, fazer o check up!

Willy Macedo
O Imparcial
Stetnet