Museu de Prudente é reinaugurado com novas expografias

288

O Museu e Arquivo Histórico “Prefeito Antônio Sandoval Netto” foi reinaugurado nessa quinta-feira, 14 de setembro, data que marcou os 106 anos de Presidente Prudente, e contou com apresentações musicais e lançamento de novas expografias.

Com início das obras em março desse ano, o Museu recebeu diversas melhorias, como a reforma do salão de exposições, adequações de acessibilidade e aquisição de equipamentos. Conforme a diretora, Valentina Romeiro, além da nova expografia, também haverá exposições comemorativas, a exemplo da exposição fotográfica “50 Anos Unoeste”. “De outubro a dezembro, nossa agenda já está lotada, como visitações de escolas nos três períodos. A expectativa de público até o final do ano é de 3 mil pessoas”, informou Valentina.

Durante a abertura oficial, a arquiteta Cris Pasquini, responsável pela revitalização, explicou que os investimentos usados nas adequações do Museu só foram possíveis com apoio de convênios do Estado e do Conselho de Arquitetura, além da iniciativa privada. Ao todo, a revitalização custou aproximadamente R$ 480 mil, sendo através do Programa de Ação Cultural (ProAC) e do Conselho de Arquitetura. Já o investimento total ficou na ordem de R$ 600 mil.

De acordo com a arquiteta, o projeto foi desenvolvido para atender a curadoria do paulistano Jan Brasil, que organizou o espaço em cinco temáticas: povos ancestrais, o museu como prédio, história da cidade, Revolução de 1932 e resgate histórico de objetos. “Quando me ele trouxe a narrativa de como a história deveria ser contada, eu reorganizei todo o espaço”, explicou Valentina.


Em suas andanças nas cidades paulistas, Jan Brasil, como profissional de Museus e da Cultura, lançou uma proposta para tornar o Museu e Arquivo Histórico em referência. Assim, o objetivo da curadoria foi reverenciar os povos indígenas; apresentar ao público a história do município e sua gestão; valorizar e destacar as contribuições do povo e de seus movimentos para o desenvolvimento da cidade. “É uma proposta baseada na inclusão, na acessibilidade, no respeito aos povos originários da região e da população negra”, frisou. Jan também salientou que todo o projeto seguiu as definições de do Código de Ética do Conselho Internacional de Museus (ICOM).

Modernização

Visando modernizar o Museu, os novos equipamentos foram subsidiados com recursos do ProAC, como notebooks, televisores, kit multimídia e um Skanner A0, que poderá ser utilizado para digitalizar parte do arquivo histórico da cidade, permitindo consultas online.

Secretaria do Estado

A secretária estadual de Cultura, Economia e Indústrias Criativas, Marília Marton, participou da solenidade de reinauguração. Para ela, o Museu permite resgatar a história das pessoas que construíram a cidade. “Não se constrói uma sociedade forte sem uma nação que se reconheça em sua identidade”, disse. “Percebi que o projeto foi cuidado para ser uma expografia nos níveis internacionais, pois vemos tudo bem identificado e desenhado”, pontuou.

Colaborou: Francinara Nepomuceno